A moda gospel - Jesus Doril

15/05/2011 14:45

 Eu estava no shopping de minha cidade e duas senhoras de boa aparência, ostentando um nível cultural acima da média e com conhecimentos básicos sobre religião estavam assentadas do meu lado na praça de alimentação. Uma dizia para a outra que havia acordado com muitas dores na coluna e que assim que resolvesse os problemas ali, ela iria a uma igreja evangélica na cidade onde há uma “CORRENTE PODEROSA” em andamento e onde tem um Pastor amigo dela que ele iria orar e ela seria curada. Não tive como não rir e lembrar do famoso analgésico “DORIL”, aquele que diz a propaganda: “TOMOU DORIL, A DOR SUMIU”.

Eu achei aquilo tão hilário, sem coerência, tão sem lógica que eu me recusei a acreditar, mas como o meio evangélico está contaminado com tanta porcaria, esta seria apenas mais uma. É óbvio, e qualquer pessoa inteligente sabe disto, que não é o “PASTOR FULANO” que cura, muito menos a tal “CORRENTE”, é “DEUS”. Aliás, estes fulanos curam sim, os problemas nas suas contas bancárias…

Para que existe médico? Ou será que a medicina com todo o seu avanço não têm capacidade para curar uma dor de cabeça? Jesus não é “DORIL” – TOMOU DORIL A DOR SUMIU. Isso não é fé isto é fedor, catinga espiritual, macumba, mandinga. Nunca foi e nunca vai ser algo de Deus. Isso é falta de respeito com as pessoas e com os dons de Deus. È por estas e outras que as pessoas vão a um destes centros de exploração da fé e lá fazem o que fez aquela ridícula senhora idosa cagona da Igreja Mundial do Poder de Deus. Um travesseiro benzido fez com que ela se borrasse toda!!! É muita miséria espiritual.
Deus criou os médicos para cuidarem dos doentes. Deus nunca irá desmerecer aquilo que Ele mesmo criou. Ele pode curar? Claro que pode. Mas não é assim que as coisas funcionam. Jesus fez o impossível!!! Ele não removeu a pedra, deixou isto para os homens, mas ele ressuscitou Lázaro. Jesus não é obrigado a curar ninguém! Ele cura se Ele quiser! Os milagres só acontecem se forem para a glória de Deus e não dos homens ou de pilantras. Tem muita gente por ai, que só vai a Igreja por causa de milagre Conversão que é bom nada! Os homens deveriam servir a Deus e não buscá-lo como um armazém de soluções imediatas e mágicas. Deus. Ele é o Senhor e não o contrário… Quem garante se esse milagre vai ser bom para sua alma?

Desculpem-me falar dessas coisas. Eu sei que é bom fazermos textos bonitos e cheios de palavras bonitas. Mas tem coisas que não dá mais para ficarmos vendo acontecer e ficarmos calados. Pode ser que amanhã eu encontre muita gente fazendo a mesma coisa. Porém, sinceramente, espero que você, ao ler esse texto não venha a cometer tais atitudes, sé é que já não comete ignorando os princípios das Escrituras. Os sinais apenas apontam aquilo que deve verdadeiramente ser notado, Jesus Cristo.

Alívio imediato que dura pouco. “…se alguém for temente a Deus, e fizer a sua vontade, a esse Ele ouve” – João 9:31.
Em um esforço aparente para promover a expansão da mensagem do Evangelho, alguém em uma cidade importante decidiu usar um spray de pintura para pintar a mensagem “CREIA EM JESUS” nas calçadas, viadutos e até nas caixas postais na área do centro da cidade. Isto não era “EVANGELISMO”, mas “VANDALISMO”. A mensagem correta não justifica o uso de meios errados.
Como estamos trabalhando para o nosso Deus. O Senhor nos mandou pregar a Sua Palavra em toda parte, até nos lugares mais remotos do mundo, e assim como seguimos aos Seus mandamentos, devemos também seguir os Seus ensinos quando à forma de nos comportar diante da sociedade em que vivemos.

Podemos dizer que “VALE TUDO” quando o objetivo é falar de Jesus? Temos o direito de agir de forma contrária a ensinada pelo próprio Cristo? Afinal, se somos “LUZ DO MUNDO” e o nosso brilho precisa ser notado por todos, como praticar atitudes que envergonham e entristecem ao Senhor dos senhores?
Hoje, nas emissoras de televisão e rádio, vemos e ouvimos de tudo a respeito de Jesus, menos QUE ELE É O SENHOR E SALVADOR e que aqueles que o seguem devem viver em Espírito e em verdade. O “VALE TUDO” está escancarado! O objetivo principal não é “QUEM CRER SERÁ SALVO”, mas quem crer ficará rico, terá fazendas, carros importados, fortunas acumuladas nos bancos, holofotes colocados em seus rostos como “HOMENS E MULHERES DE SUCESSO”. Aqui na cidade onde moro, as reuniões são muito parecidas – canetas de ouro, chaves de ouro, chuva de ouro em pó… menos Jesus! Na semana passada, recebi em minha caixa de correio um folheto convidando para UMA SEMANA DE BÊNÇÃOS em uma igreja do Evangelho Quadrangular. Eles diziam: Na segunda – Como ficar rico em poucos meses. Na terça – Como pagar todas as suas dívidas rapidamente. Na quarta – Como comprar seu carro novo e sua casa de praia. Na quinta – Como desamarrar os nós da prosperidade. Na Sexta – Quebra de maldição hereditária. E assim por diante! Não havia um dia sequer em que a bênção era RECEBER JESUS NO CORAÇÃO, ter paz e vida abundante, ser feliz para sempre. O negócio era o materialismo sujo e imoral. Barganha com Deus na concepção da palavra.

Assim como sujar uma cidade com mensagens Bíblicas não faz parte do ensino Bíblico para o filho de Deus, também não faz parte o desvio da mensagem contida nas Sagradas Escrituras. No caso anterior, a mensagem era correta e a forma não. Nos exemplos atuais, tudo está errado. Na vida cristã, não podemos pensar que “VALE TUDO”. O que vale é obedecer ao Senhor e produzir frutos que glorifiquem ao Seu nome.
O Evangelho “DORIL” – TOMOU, A DOR SUMIU – deve ser banido dos meios cristãos. Para isso, é necessário que o cristão conheça as Escrituras e seja instruído de forma correta, evitando a possibilidade de engano. Estamos sendo bombardeados por esta doutrina “ALÍVIO IMEDIATO”, em que o compromisso com Deus, a transformação do caráter, o novo homem, o caráter de Cristo, entre outros preceitos, são deixados de lado, enquanto a Igreja de Cristo está sofre.

O Senhor não prometeu o fim dos problemas, das doenças, nem tampouco riquezas terrenas para aqueles que o recebessem. Ele prometeu o perdão dos pecados, o presente da salvação e, por Sua misericórdia, sermos chamados de filhos. Se pensarmos bem, nem sequer poderíamos falar o nome do Senhor, pois somos tão insignificantes…

por Carlos Roberto Martins de Souza